1
Shares
Pinterest Google+

O Ativo Verde faz parte do programa Nascentes da pasta estadual e permite que os proponentes desenvolvam as ações ecológicas e obtenham créditos ambientais.

Com área total de 9.043 hectares, a unidade de conservação estadual abrange grandes extensões de várzeas do rio Aguapeí, afluente do rio Paraná. É um dos últimos locais onde ainda pode ser encontrado o cervo-do-pantanal, mamífero ameaçado de extinção, no estado de São Paulo.

Por José Tomazela

Um projeto ecológico vai recuperar 24,3 hectares – área equivalente a 25 campos de futebol – no Parque Estadual Aguapeí, em Nova Independência. A ação se dará por meio do programa Ativo Verde, da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado, que prevê a utilização de créditos ambientais para recompor áreas verdes degradadas.

Com área total de 9.043 hectares, a unidade de conservação estadual abrange grandes extensões de várzeas do rio Aguapeí, afluente do rio Paraná. É um dos últimos locais onde ainda pode ser encontrado o cervo-do-pantanal, mamífero ameaçado de extinção, no estado de São Paulo.

Parque Aguapeí terá área recuperada. Foto Sima/Divulgação.

O Ativo Verde faz parte do programa Nascentes da pasta estadual e permite que os proponentes desenvolvam as ações ecológicas e obtenham créditos ambientais. A modalidade atende interessados em licenciamento ambiental sujeito à compensação, autuados que optarem pela conversão da multa e também aqueles que quiserem financiar um projeto de forma voluntária.

Outro projeto vai recuperar áreas de reflorestamento nos municípios de Piracaia e Joanópolis. São cerca de sete hectares localizados em área prioritária para o abastecimento hídrico das duas cidades e do Sistema Cantareira. A parcela a ser recuperada não possui potencial de regeneração natural e está em local de grande declividade, sujeito à erosão do solo.

Todas as etapas dos projetos até a aprovação são realizadas de forma digital e submetidas à análise do corpo técnico do programa Nascentes que, atualmente, abrange 425 municípios paulistas. Até dezembro último, o programa contabilizou o plantio de 36 milhões de mudas e a restauração de 23 mil hectares de matas.

As informações são do Jornal O Estado de SP

Previous post

Sanhaço-cinzento faz festa no quintal de casa

Next post

Região de Campinas é reclassificada e volta para a fase laranja

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *