Home»Pitaco do RCP»Cereja do Rio Grande

Cereja do Rio Grande

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Ela é parente próxima da jabuticaba e da pitanga e temos algumas mudinhas para doar aos amigos

Este ano conseguimos fazer várias mudas desta frutífera da Mata Atlântica

 

Cereja-do-rio-grande – Eugenia involucrata

 

Este ano conseguimos fazer várias mudas desta frutífera da Mata Atlântica

 

Nome Científico: Eugenia involucrata

Sinonímia: Phyllocalyx involucratus, Phyllocalyx laevigatus, Eugenia paraguayensis

Nomes Populares: Cereja-do-rio-grande, Cereja, Cerejeira, Cerejeira-da-terra, Cerejeira-do-mato, Cerejeira-do-rio-grande, Guaibajaí, Ibá-rapiroca, Ibajaí, Ibárapiroca, Ivaí, Ubajaí

Família: Myrtaceae

Categoria: Árvores, Árvores Frutíferas, Árvores Ornamentais, Bonsai

Clima: Subtropical, Tropical

Origem: América do Sul, Brasil

Altura: 4.7 a 6.0 metros, 6.0 a 9.0 metros, 9.0 a 12 metros, acima de 12 metros

Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno

Ciclo de Vida: Perene

 

A cerejeira-do-rio-grande é uma árvore frutífera e ornamental, bastante popular nos quintais e pomares do sul e sudeste do Brasil. Sua copa é colunar e seu porte é pequeno a médio, alcançando de 5 a 15 metros de altura. O tronco é reto, liso e descamante, com belas tonalidades de cinza, castanho, verde ou vermelho, dependendo da fase da casca. As folhas são simples, cartáceas, brilhantes, opostas, lanceoladas a elípticas e aromáticas.

As flores são axilares, longopedunculadas, solitárias, pentâmeras e brancas. O centro da flor é caracterizado por numerosos e longos estames, com anteras amarelas. Os frutos são bagas subglobosas a piriformes, de casca fina, cor vermelha a negra quando maduras, coroados pelo cálice persistente. Cada fruto pode conter de uma a três sementes de cor castanha, grandes e oblongas. Floresce e frutifica na primavera.

Este ano conseguimos fazer várias mudas desta frutífera da Mata Atlântica

Tirado do site jardineiro.net

Post Anterior

Mercado Surpresa Antiguidades

Próximo Post

Agrishow 2018 expõe tecnologias de controle biológico em flores

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *